Naquela cidade, cada um sonhava em segredo
O menino sem nome conheceu a garota sem pernas
Ela não tinha pernas, mas mesmo assim
Não precisava de ninguém para ir embora
E eles tentaram

A garota sem pernas mostrou a ele o mundo como conhecia
Ele, que não tinha nome, embarcou
Como quem nunca mais quer voltar
Por um tempo, olharam para a mesma direção
Ela nunca lhe deu um nome

Ele nunca lhe trouxe as pernas
O que para um era sina, para outro era o mistério
Eles poderiam andar juntos sobre o mesmo trilho
Mas nunca seriam esmagados pelo mesmo trem

press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom